Recife

Semana pré-carnavalesca tem programação gratuita, em Recife | a partir do dia 18 de fevereiro

A semana pré-carnavalesca movimenta o Recife antes mesmo da abertura oficial do Carnaval, na próxima sexta-feira (21), no Marco Zero. Entre as prévias já tradicionais da capital está o Baile Municipal da Pessoa Idosa. A festa acontece na terça-feira (18), no Classic Hall, a partir das 15h.


No Pátio de São Pedro, o som das alfaias vai ecoar no Encontro de Mestres de Nações de Maracatus, a partir das 17h. Logo em seguida, a partir das 19h, a Terça Negra Especial reúne o Afoxé Obá Iroko, o Maracatu Porto Rico, Aurinha do Coco e Ívano Reggae. No Marco Zero, a partir das 18h, o Tumaraca faz o ensaio geral com os batuqueiros e batuqueiras, sob a regência do Mestre Chacon, gestor do Núcleo Afro e coordenador do espetáculo.

Na quarta-feira (19), o Encontro de Caboclinhos e Índios movimenta a Praça do Arsenal, a partir das 17h. No dia seguinte, quinta-feira (20), véspera da abertura oficial, acontece o tão esperado Ubuntu, com o encontro de afoxés no cortejo que segue pelo Boulevard da Rio Branco até o Marco Zero. A cerimonia, de muito axé, é a partir das 16h. Em seguida, o espetáculo Tumaraca reúne as nações de maracatu na Rua da Moeda, a partir das 18h, seguindo em direção ao Marco Zero, onde acontece o ensaio geral para a abertura do Carnaval.

Funesc realiza edição especial do Espaço da Criança com atividades gratuitas | 26 de janeiro

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) preparou uma tarde de atividades direcionadas ao público infantil. É o que promete o ‘Espaço da Criança’, que acontece neste domingo (26 de janeiro), a partir das 14h. O evento, que costuma acontecer sempre no dia 12 de outubro, em comemoração ao Dia das Crianças, ganhou edição extra para integrar a programação do projeto ‘Janeiro na Funesc’. As atividades gratuitas se estendem até 18h, encerrando com participação do Coletivo Maracastelo.

A edição de férias do Espaço da Criança contará com aulões de hip hop e de capoeira, feirinha cultural, contação de histórias e apresentação do espetáculo ‘Diferenças’, com participação de ex-alunos da Escola de Circo Djalma Buranhêm. No Planetário, crianças e adultos poderão assistir à sessão especial que acontece às 17h. A bilheteria abre uma hora antes. No estúdio Made in PB e box Mago Cinzento as crianças poderão participar de oficina livre de desenho, jogos eletrônicos e brincadeiras.

Feirinha Cultural – Espaço Criativo – Reúne artesanato, variedades, brechó e gastronomia. A Feirinha é uma iniciativa da Funesc e funciona a partir do cadastro de artesãos junto à Fundação. Tem como objetivo estimular a economia criativa, contando com adesões de artesãos paraibanos e de outros estados da região, além da Sociedade Vegana Brasileira em João Pessoa. Lançado em agosto de 2015, o projeto surgiu como “Feirinha de Domingo” e foi reformulado, acompanhando a agenda de eventos da Funesc.

Espetáculo ‘Diferenças’ – Com elementos lúdicos, poéticos e oníricos, o espetáculo ‘Diferenças’ convida o público a um momento de reflexão sobre tudo ao redor: pessoas, cores, realidades difusas, entre outros elementos. A ideia é mostrar, numa mistura de circo, teatro e dança, as mais diversas vertentes das assimetrias presentes no cotidiano da sociedade. Em cena estão: Arthur Lima, Beatriz Araújo, Camille Luna, ClémentVialle, Gabriel Chaves, Eduardo Carvalho, Fernanda Barros, Mariana Lira, Wagner Varela e Yanca Medeiros.A direção fica por conta dos educadores, Daniel Nóbrega e Josemberg Pereira. A iluminação e concepção de figurino são assinadas por Vinicius Dadamo, enquanto que a caracterização é de Williams Muniz, a sonoplastia de Mariana Lira e a contrarregragem de Jonielson Brito. 

Sessão de Curtas Infantis – Mostra Sesc – Serão duas sessões – uma às 15h e outra às 16h, no Cine Banguê, com ingressos gratuitos limitados. A sessão das 15h exibirá os filmes ‘Icamiabas’(12’), ‘Clandestino’ (25’) e ‘O malabarista’ (11’). Na sessão das 16h, o público poderá assistir ‘LiLy’sHair’ (15’), ‘Vivi lobo e o quarto mágico’ (13’) e ‘A câmera de João’(22’). A distribuição de senhas é feita uma hora antes de cada sessão. Todos os filmes têm classificação indicativa livre.

Sinopses:
Icamiabas –  Brasil | 2017 | 12min | Ficção – Direção: Otoniel Oliveira
Um explorador comercial inveterado, o Bio Pirata, foi até a feira do Veropa para pilhar bem no dia em que as Icamiabas tinham ido fazer a feira para Tupam. Derrotado, ele decide se vingar juntando as duas inocentes criaturas, o Mapim e o Guari, em uma enorme e destruidora força de comer que pode acabar com a Feira do Veropa rapidinho, o insaciável Mapimguari.

Clandestino – Brasil | 2017 | 24min | Ficção – Direção: Barush Blumberg
Elenco: Maria Clara, Rita Maia, Jaqueline Barroso, Thiago Marques.
Tereza é uma garota comum com uma imaginação incomum. No caminho para encontrar sua mãe e entregar uma encomenda muito preciosa, sua imaginação corre livre pelas paisagens do interior. O que poderia ser mais uma viagem de ônibus em companhia de sua avó se torna uma grande aventura.

O Malabarista – Brasil | 2019 | 11min | Híbrido –  Direção: Iuri Moreno
Sinopse: Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades.

Lily’sHair- Brasil | 2019 | 15min | Ficção – Direção: Raphael Gustavo da Silva
Elenco: Regiane Gabriele, Bernardo Luiz, Vitória Mikaeli, Regina Silva, Adriana Brito, Izabela Nascente, Mel Gonçalves.
Lily é uma garota negra que mora com sua família no Cnojunto Vera Cruz, bairro da periferia de Goiânia. Ela se orgulha muito de sua negritude, mas não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, faz de tudo para conseguir fazer com que seus cabelos fiquem do jeito que sempre sonhou.

Vivi Lobo E O Quarto Mágico –  Brasil | 2019 | 13min | Ficção – Direção: Isabelle Santos e Edu MZ Camargo
Elenco:  Uyara Torrente, Ana LuisaCaron, Danielle Rocha, IsabeleBlasius, Luiza Ribeiro Bravim, Victor Hugo Filartiga.
Muito prazer! Meu nome é Vivi Lobo. Esta história é sobre as portas que devemos abrir ao longo da vida, enquanto humanos, enquanto meninas.

A Câmera de João – Brasil | 2017 | 22min | Ficção – Direção: Tothi Cardoso
Elenco: Lucas Romão, Adilson Magha, Neusa Borges.
O filme acompanha a jornada do garoto João que traz consigo as heranças e memórias de seu avô Zeca retratadas por meio da curiosidade e paixão pela fotografia. Curioso, João interage com as lembranças da cidade e com as memórias dos seus avós.

Serviço:
Janeiro na Funesc – Espaço da Criança – a partir das 14h
Data: 26/01
Local: Espaço Cultural José Lins do Rêgo
Entrada: Gratuita

14h – Feirinha Cultural – Praça do Povo
14h – Studio Made in Paraíba e Mago Cinzento –jogos eletrônicos, brincadeiras e oficina de desenho
14h50 – Aulão de hip hop com integrantes do grupo SupremeBoyz
15h e 16h – Sessão de Curtas Infantis – Mostra Sesc | Classificação Livre | Cine Bangüê
15h30 – Contação de História, com Dayane Bezerra | Classificação Livre | Praça do Povo
16h10 – Aulão de capoeira, com Abadá Capoeira
17h – Sessão do Planetário – Classificação Livre | Bilheteria abre às 16h
17h – Espetáculo Diferenças – Classificação Livre | Teatro Paulo Pontes | Entrada: gratuita
18h – Encerramento com Maracastelo

Cine Bangüê – Sessão de Curtas Infantis – Mostra Sesc
Classificação indicativa: livre

Sessão 15h
Icamiabas – Direção: Otoniel Oliveira (Brasil, 2017, 12’)
Clandestino – Direção: Barush Blumberg (Brasil, 2017, 25’)
O malabarista – Direção: Iuri Moreno (Brasil, 2019, 11’)

Sessão 16h
LiLy’sHair – Direção: Raphael Gustavo da Silva (Brasil, 2019, 15’)
Vivi lobo e o quarto mágico – Direção: Isabelle Santos e Edu MZ Camargo (Brasil, 2019, 13’)
A câmera de João – Direção: Tothi Cardoso (Brasil, 2017, 22’)

Sesc dá início à exibição gratuitas de filmes no Grande Recife | 08 a 30 de janeiro

O Sesc dá início, nesta quarta-feira (8), à programação gratuita de cinema deste ano em Pernambuco com a proposta de fortalecer o audiovisual com a formação de público. A programação começa no Cine Teatro Samuel Campelo, em Jaboatão dos Guararapes, mas também, ao longo do mês, se realiza no Sesc Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. A série de filmes vai até o 31 deste mês[Confira a programação completa abaixo].

Confira a programação:

Cine Teatro Samuel Campelo, Praça Nossa Senhora do Rosário, 510. Centro. Jaboatão dos Guararapes

08/01
14h30 | “Minha vida de abobrinha” (Classificação: 10 anos)
19h | “A alegria” (L)

15/01

14h30 | “O menino e o espelho” (L)
19h | “Divã” (Classificação: 12 anos)

19/01
15h | “O menino e o espelho” (L)

22/01
14h30 | “Minha vida de abobrinha” (10)
19h | “A alegria” (L)

29/01
14h30 | “O menino e o espelho” (L) com acessibilidade*
19h | “Divã” (Classificação: 12 anos)

Cine Coliseu, Casa Amarela, Av. Prof. José dos Anjos, 1190

16/01
15h | “Puaj!” (L)

23/01
15h | “A história da cabra: queijo de cabra” (L)

27, 28, 29 e 31 de janeiro
15h | Exibição de curtas (L)

30/01
15h | “O galo de São Victor” (L)

Paço do Frevo celebra 2020 com Maestro Spok e Galo da Madrugada | 27 de dezembro

O Paço do Frevo convoca os clarins de Momo para celebrar a chegada de uma nova década e antecipar o Carnaval 2020! Para encerrar a programação 2019, o Centro de Referência promove o seu Pré-Réveillon com um show gratuito do Spok Quinteto na última sexta-feira do ano (27 de dezembro de 2019), ao meio-dia.  Em janeiro, o espaço abre com tudo: vai ter Arrastão do Frevo especial.Uma outra boa notícia para o ano novo é a disponibilização de bolsas de estudos para pessoas de baixa renda, negras e pertencentes às comunidades LGBT+ e do frevo.
 
O Maestro Spok recebe convidados especiais na apresentação do Spok Quinteto, num espetáculo cheio de frevo de rua, de bloco e canção, que ocorre na frente do Paço do Frevo. Continuando no pique carnavalesco, no domingo, dia 5 de janeiro, o ilustre Galo da Madrugada faz sua primeira participação no Arrastão do Frevo. A agremiação fará seu cortejo pelas ruas do Recife Antigo, com concentração marcada para as 15h30, no Marco Zero.
 
Serviços:
 
Pré-Réveillon do paço: Spok Quinteto
27/12 (sexta-feira), meio-dia.
Acesso gratuito.
 
Arrastão do Frevo: Galo da Madrugada
05/01 (domingo), 16h. Concentração às 15h30, no Marco Zero.
Acesso gratuito.

Orquestra, gratuita, Criança Cidadã leva cantata de Natal para Caixa | 27 de dezembro

Com a proposta de narrar histórias das canções de Natal ao longo dos séculos, a Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque apresenta cantata na Caixa Cultural Recife nesta sexta-feira (27 de dezembro de 2019 – 27/12), às 20h, com acesso gratuito ao público. No programa, 14 músicas de origens diversas a exemplo de “Noite Feliz” (Áustria), “A La Naninta Nana” (Espanha) e “O Primeiro Natal” (Inglaterra).

Alternam na condução do espetáculo, o maestro Nilson Galvão Jr. e a professora de Canto Coral Valdiene Pereira, que ressalta sobre a importância de que “o público conheça a história das músicas de Natal que são cantadas neste período”. Integram também a cantata os músicos Filipe Reis e Eduarda Silva, já o Núcleo Popular ficará a cargo do acompanhamento musical. 

Serviço:
‘A História das Canções de Natal’, com a Orquestra Criança Cidadã

Sexta (27/12), às 20h, na Caixa Cultural Recife (Av. Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife)

Apresentação do Quarteto de Violoncelos da Orquestra Criança Cidadã
Quinta (26/12), às 14h30, na Galeria 2 da Caixa Cultural Recife 

Acesso gratuito
Informações: 85 3425-1915

Auto de Natal, inspirado em Dom Helder Camara, será gratuito | 21 e 22 de dezembro

Peça será mostrada às 18h na Igreja das Fronteiras, na Boa Vista, área central do Recife, com entrada franca

“Como está Cristo dentro de cada um de nós? Largado? Abandonado? Esquecido? Invisível? Quem está se preparando para o Natal?”. Essas são algumas das indagações feitas pelo arcebispo emérito de Olinda e Recife, dom Helder Camara, registradas em escritos das décadas de 60 e 70 do século passado. Reflexões que vão conduzir o Auto das Fronteiras – um Natal com Dom Helder, que será encenado neste sábado (21 de dezembro de 2019 – 21/12) e domingo (22 de dezembro de 2019 – 22/12), com entrada gratuita, na Igreja de Nossa Senhora das Fronteiras, na Boa Vista, área central do Recife, sempre às 18h. O espetáculo, a exemplo do que pregava o sacerdote, falecido 20 anos atrás, em agosto de 1999, será uma celebração ao ecumenismo e ao amor.

“Não esperem um Auto de Natal comum. Será um auto político, social, progressista, engajado com a renovação da Igreja Católica que surgiu com o Papa Francisco e defendida por dom Helder. Pensamos o Evangelho não alienado, social”, ressalta o ator Júnior Aguiar, do Coletivo Grão Comum. Ele escreveu e dirige a peça, além de representar o próprio Dom. “Passei dois meses e meio mergulhado nos escritos de dom Helder sobre o Natal. Um dos diferenciais do auto é ter sido baseado naquilo que o arcebispo escreveu”, explica Júnior. Outro aspecto é o lugar. “A peça será encenada numa igreja barroca secular, na casa que dom Helder escolheu para viver”, complementa.

Somente ele e outros dois atores são profissionais (Asaías Rodrigues, interpretado Jesus adulto; e Augusta Ferraz como Nossa Senhora da Assunção das Fronteiras). Os demais integrantes da peça são pessoas comuns. “Maria e José, por exemplo, são representados por um casal afrodescendente que tem quatro filhos e mora na periferia de Olinda. Misturamos atores e não atores. Queremos desmestificar raça, origem, e mostrar que Deus pode estar em qualquer corpo, em qualquer lugar, em qualquer família”, explica Júnior.

CANTOS SAGRADOS

Logo no início, o público vai ouvir um mantra em sânscristo antigo, num convite para iluminação e purificação. Haverá projeções de imagens e mais de dez músicas durante a encenação. Um dos momentos mais esperados deve ser a entrada dos três Reis Magos. Um deles será o monge beneditino Marcelo Barros, para lembrar a Igreja Católica e o Cristianismo. O outro é o líder xamã Fulni-ô Megaron Matos, representando os povos indígenas. E o terceiro, o aborixá Alexandre L’ómi L’ódò, do candomblé.

“Os Reis Magos da peça simbolizam o que dom Helder defendia. Uma sociedade inclusiva, que convive com as diferenças, com visão universal. Estamos com muita expectativa e felizes com esse auto de Natal, baseado nos escritos do dom e encenado na Igreja das Fronteiras”, destaca o diretor executivo do Instituto Dom Helder Camara (Idhec), Antonio Carlos Maranhão de Aguiar. A peça tem apoio da Fundarpe.